Publicidade

terça-feira, 1 de setembro de 2015 Congresso | 09:53

Oposição cobra devolução do Orçamento e só aceita acordo com corte drástico nos gastos do governo

Compartilhe: Twitter

CassioCunhaLima_GeraldoMagela_AgenciaSenado_15.04.201420140415_0001O governo não terá vida fácil no Congresso, durante a tramitação da proposta Orçamentária para 2016, apresentada ontem ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), com um déficit estimado de de R$ 30,5 bilhões.

Isso porque, durante esses anos todos, o Orçamento tem sido aprovado sempre por unanimidade, com acordo entre todos os partidos. É o tipo da proposição legislativa que dificilmente consegue ser votada sem acordo.

E o líder do PSDB no Senado, Cassio Cunha Lima (PB), adianta ao iG as suas condições para esse acordo. Na verdade, as propostas do PSDB neste caso são muito parecidas com o que diz a maioria dos deputados do PMDB.

Só tem uma questão: antes do acordo, Cassio e o PSDB vão tentar, na Justiça, a devolução da proposta do Orçamento 2016 ao Executivo

Cassio — Na verdade, o governo desrespeitou a Lei de Responsabilidade Fiscal ao enviar essa proposta ao Congresso. Ela determina que tem que haver um equilíbrio entre receitas e despesas na administração da coisa pública. Então, estamos estudando formas juríricas de, antes de mais nada, devolver a peça orçamentária ao Executivo determinando que ele faça os ajustes. Cabe ao governo fazer sua proposta de cortes nos gastos. Se não têm competência ou unidade para resolver essa questão entre eles, estão dando mais uma mostra da completa incapacidade de governar.

iG — Mas digamos que não se consiga devolver. Aí vocês terão que trabalhar em cima desse Orçamento que está aí. Qual será a postura do PSDB?

Cassio — Neste caso, não tenha dúvida. vamos propor cortes drásticos nos gastos com a máquina pública. Mas preservando ao máximo as iniciativas em favor daqueles que mais precisam. O PSDB vai defender a manutenção dos programas sociais, corrigindo naturalmente suas distorções, que não são poucas, e atacar os gastos. Cortes no ministérios, nas diárias das autoridades, nas viagens, gastos com telefonia celular, no número de cargos comissionados… Se precisarem de um acordo conosco para votar o Orçamento, vão ter que se preparar para isto. Além de um Orçamento deficitário. Mandaram-nos uma proposta que conta com receitas não asseguradas, como a venda de imóveis da União, e o leilão da folha de pagamento, por exemplo.

iG — O presidente do Senado, Renan Calheiros, costuma dizer que essa crise está revelando um esgotamento do modelo de governança estabelecido na Constituinte de 1988. Aquela que o então presidente José Sarney (PMDB-AP) disse ter votado um Constituição que tornava o país ingovernável…

Cassio — Eu concordo que há uma série de vinculações orçamentárias na atual Constituição que precisam ser revistas. Engessam a administração. Mas a grande questão, no momento, é a política macroeconômica do governo. veja o caso das swaps cambiais. São operações de seguro para quem compra dólar que custaram só este ano ao Tesouro Nacional R$ 115 bilhões (Nota da coluna: o senador José Serra citou este número em discurso, mas o governo fala em cerca de R$ 60 bilhões). Cada ponto percentual de elevação na taxa básica de juros estabelecida pelo Banco Central representa um aumento de R$ 15 bilhões na dívida pública. Só com esse dois itens o governo poderia estabelecer o equilíbrio orçamentário.

iG — O senador José Serra (PSDB-SP) disse isso em plenário. Cheguei a noticiar aqui na coluna. E isso leva a outra questão: todos os pontos que o sr. coloca são muto parecidos com o que diz a maioria do PMDB. Se o serra, por exemplo, fosse relator do Orçamento, e tenho certeza de que o Renan Calheiros teria o maior prazer de indicá-lo , o PSDB não poderia sair como grande artífice da solução econômica para a crise?

Cassio — Concordo que, nas ideias, temos competência e quadros capazes de encontrar uma solução. Mas aqui no Congresso, no final das contas, manda quem tem maioria. E, teoricamente, apesar de sua desorganização, quem tem maioria aqui é a base governista. As oposições somam 20% do Parlamento.

Autor: Tags: , , , , , ,

14 comentários | Comentar

  1. 64 Sucaneiro 01/09/2015 14:42

    Quanta baboseira escrita nos comentários. Partindo do principio de que cada ponto percentual a menos na taxa referencial de juros representa 15 bilhões a menos é só baixa-la para 12% ao ano que a conta dos 30 bilhões de deficit público é zerada.

  2. 63 LYRA 01/09/2015 14:05

    Amigos, dá nojo o povo honesto ficar ouvindo falar o nome de tantos marginais, quem é esse tal de Cássio Cunha Lima para querer falar em honestidade e, para não perder tempo em comentar sobre moleques, quem tiver interessado em saber quem realmente esse meliante é, procurem na internet sobre seu nome ou pergunte a alguns nordestinos, quem não lembra de seus tempos de SUDENE?

  3. 62 sergei boronov 01/09/2015 12:46

    PITACO DO BORÔ:REDUZIR PELA METADE O NÚMERO DE PARLAMENTARES E ACABAR COM AS MORDOMIAS DO JUDICIÁRIO TAMBÉM AJUDARIA UM POUQUINHO.

  4. 61 ISSO É MAIS UMA VERGONHA! 01/09/2015 12:27

    HÁ MUITAS MEDIDAS QUE A CAMBADA DE VAGABUNDOS QUE LEVOU O PAÍS À SITUAÇÃO EM QUE ESTÁ PODERIA TOMAR, PORÉM TODAS TÊM QUE PARTIR DO “CORTE NA PRÓPRIA CARNE”!
    O CHEFE DO MENSALÃO, DO PETROLÃO E CAUSADOR DE TODO ESSE MAR DE LAMA EM QUE O PAÍS ESTÁ ATOLADO, LEVOU O EX-PRESIDENTE DO URUGUAI, O SENHOR MUJICA, PARA PARTICIPAR DE UMA PALESTRA SUA: POR QUE ELE E SUA QUADRILHA NÃO SEGUEM O EXEMPLO DO MUJICA, QUE DOAVA 90% DE SEU SALÁRIO, USAVA SEU PRÓPRIO VEÍCULO PARA IR TRABALHAR (UM FUSCA) E DISPENSAVA O PALÁCIO PRESIDENCIAL PARA MORAR, MORANDO EM SEU PRÓPRIO SÍTIO?
    ESSA CAMBADA DE SAFADOS PRECISA DAR O EXEMPLO, E NÃO CRIAR MAIS IMPOSTOS OU AUMENTAR IMPOSTOS QUE O POVO NÃO ACEITA MAIS!

  5. 60 luiz 01/09/2015 12:08

    Muito fácil de resolver estes problemas, corte de ministérios, e demitindo todo mundo, nada de agregar em outros, pelo menos 30% das bolsas familia não são necessarias, parar de da verbas para movimentos sociais, veja a economia que seria feita.

  6. 59 Edmir 01/09/2015 11:59

    Existe uma possibilidade muito simples de devolver esse lixo para o executivo: rejeitem a proposta de orçamento !

  7. 58 gilson luiz 01/09/2015 11:52

    O POVO TEM QUE UNIR E NÃO COMPARECER PARA VOTAR,POIS ENQUANTO FOR ESTAS URNAS ELETRÔNICAS ELES VÃO FRAUDAR AS ELEIÇÕES COMO FOI DE 2014,NÃO VAMOS COMPARECER POIS E´PERDA DE TEMPO.

    • J DAVILA 01/09/2015 14:41

      Concordo esta seria a minha bandeira para ir as ruas e mudar o pais.

  8. 57 Edmir 01/09/2015 11:46

    Vendam todos os carros oficiais e distribuam Vale Transporte.
    Amarrem os salários dos políticos ao Salário Mínimo.
    Acabem com custeio dos planos de saúde especiais de todos os políticos e que usem o SUS.
    Que todo político pague o próprio aluguel com seu salário.
    Reduzam drasticamente as “Verbas de Gabinete”.
    Proíbam os gastos do governo com publicidade.
    …..
    Só algumas idéias.
    Acho que se fosse assim, só seriam candidatos aqueles que tivessem amor pela política (não é isso que falam dos professores ?)
    E por aí afora !

  9. 56 Luiz Francisco Guimarães 01/09/2015 11:26

    Todos os poderes tem muitas mordomias que podem ser cortadas. Exemplifico uma totalmente descabida Auxílio Moradia para Juízes. Vamos acabar com isso. Na Suécia o Juiz não tem mordomia nenhuma .. alguns andam de bicicleta para pegar o metrô e totalmente proibido de receber presentes. A nossa República está ficando muito cara. Não tem lógica nenhuma milhões de pessoas trabalharem igual a escravos para sustentar uma classe elitista dos trẽs poderes.

  10. 55 Maria da Conceição 01/09/2015 10:45

    Ora, se o PSDB tem tanta competência, porque deixou o Brasil nas mãos do FMI quando o entregou ao PT? Por que os senadores e deputados não reduzem seus salários e o orçamento destinados a elels pelo governo? Segundo amigos, só tem um jeito de resolver a situação do país: “A sociedade pedir ao Ministério Público que a representa com um pedido ao STE para proibir a candidatura de Presidnete em 2018 de PT e PSDB, para que eles parem de brigar e pensem BRASIL em consenso, pois já tá dando nos nervos das pessoas e, a área políticos, principalmente os dois partidos estão com moral na sociedade que já tá pra revolucionar.Assim, dáum limite e eles aprendem a lição que quem manda no país é o povo quando unido ninguém vence. Somos os patrões e o empregado que exagera deve ser limitado. O limite é tornar em 2018 os dois ilegíveis para Presidente. Cabe ao Judiciário dar um limite ou a sociedade revolucionará, poruqe tá igual a uma bola de sopro, vai encehndo até o limite e estoura. Pensem bem e juizo políticos. Acabaram os tempos de “tudo debaixo do tapete”.

    • Renê Torres 01/09/2015 12:47

      A dívida do país com o FMI (DÍVIDA EXTERNA) era remunerada a 4% a.a. Lula pagou essa dívida, assumindo outra , a DÍVIDA INTERNA, remunerada a 19% a.a. Eis o CAMINHO DO FUNDO O POÇO !!! E olha que não estou defendendo PSDB, pois entendo que FHC foi extremamente nocivo para o país, ao entregar patrimônio nacional (reservas minerais) ao capital estrangeiro A PREÇO DE BANANA. O partido que está no poder, infelizmente, abraçou a MENTIRA, nada que provenha dele tem CREDIBILIDADE. Sou servidor público federal do judiciário e tenho visto a Presidente vetar projeto do JUDICIÁRIO, com alegações inverídicas e, ainda, ao argumento de ser INCONSTITUCIONAL (pasmem !!!!); o Guardião da Constituição elaborando projetos de lei inconstitucionais. Pois, se assim fosse: FECHEMOS O PAÍS!!! Enfim, vejam e divulguem: https://www.youtube.com/watch?v=rRQHG5kd-Q0

    • Clif Almeida 01/09/2015 11:52

      O mais incrível em tudo é ainda ver petistas acharem que podem passar o governo pra qualquer partido, desde que não seja o PSDB. Isto se tornou questão de honra entre eles. Arrebentaram com a nossa economia, destroçaram o Plano Real, tiveram a capacidade de perder o bonde do desenvolvimento quando tudo era favorável, implantam todo dia uma nova mentira pra tentar justificar o injustificável, são tantos “arrumadinhos políticos” que perderam a capacidade de governar, venderam a alma com tanto “toma lá, dá cá”. Agora se superam, assinando um atestado de incompetência só pra forçar uma nova fonte de dinheiro. Dinheiro este que é suado pelo trabalhador e que acaba sendo distribuído nos porões do congresso em troca de apoio político. Um governo que vive de bordões e frases de efeito pra enganar os menos esclarecidos. Lastimável nossa situação.

    • gilson luiz 01/09/2015 11:49

      Ele diz quem manda no pais é o povo,agora a Dilma se elegeu fraudando as urna e comanda por Antonio Toffoli que o PT colocou no STF e que sempre foi advogado do PT,quantos juizes do PT tem no STF,a Dima como administradora desculpe a expressão é um zero a e junto com LULa 171,jogou o Brasil a esta situação e PT quando estava fora do governo jogava contra o pais e agora esta só faz m e para completar quantos petista esta presos Delubio,Dirceu,Vacarri,agora falta Lula,

  11. 54 welinton 01/09/2015 10:39

    Corta primeiro no orçamento o valor a ser repassado ao senado e a câmara federal pra pagar as regalias e os salários destes parasitas que vivem as nossas custas e ainda se dizem defensores do pais,vão trabalhar bando de desocupados.

    • MARIA 01/09/2015 10:49

      Amigo, acho que a solução é dar um limite nos dois partidos, pois essa briga pelo poder tá demorando e quem está no prejuizo somos nós: Ministério público com aval da sociedade solicitar ao STE que torne elegível candiatos do PT e PSDB á Presidente em 2018. Aí sim, a sociedade se moraliza e dá um limite e o Brasil segue em frente, pois não terão mais o que brigar.

  12. 53 André Linhares 01/09/2015 10:37

    Cadê o anunciado corte das despesas do governo? como a redução do número de ministérios e da quantidade de cargos comissionados? que foram criados unicamente para acomodar os integrantes dessa organização criminosa que governa o país?

  13. 52 Paulo 01/09/2015 10:36

    Se reduzir 70% de ministérios, 70% de deputados, senadores, vereadores, e salários deles, já é um bom começo, está na hora de cortar na carne, não precisamos sustentar tantos vagabundos num País falido, vamos pegar pesado.

  14. 51 luiz antonio do amaral 01/09/2015 10:31

    Acho que o PSDB deveria colocar as seguintes emendas;
    1 – diminuir o salário dos Deputados e Senadores
    2 – taxar as grandes fortunas
    3 – Ninguém deveria ganhar mais do que 20 salários mínimos incluindo os penduricalhos.

  1. ver todos os comentários

Os comentários do texto estão encerrados.